Informativo

15 de julho de 2017

A Vital Importância da Advocacia Preventiva

 

O empresário que quer se manter ativo no mercado, necessariamente tem de estar atualizado às mudanças do cenário econômico mundial em meio aos tempos de crise. É fato notório que a globalização e a propagação do uso das tecnologias, refletiram na racionalização de empresas, acarretando mudanças significativas nas formas de organização e estruturação.

 

Como reflexo deste novo panorama estrutural, a advocacia preventiva empresarial tem adquirido espaço, através da atuação em controle de riscos e redução de prejuízos, e, como consequência, conquistando aumento de ganhos para o empresário diante da instabilidade econômica. Desta forma, valendo-se de orientações jurídico-preventivas, as empresas passam a evitar decisões urgentes e precipitadas, estando preparadas e salvaguardadas diante de infortúnios empresariais inerentes ao campo econômico.

 

A advocacia preventiva reduz ao mínimo os eventuais riscos e os custos consideráveis dos empresários, evitando também possíveis demandas judiciais e extrajudiciais. Mais que um investimento em tempos de crise passa a ser um elemento vital e porque não, imprescindível.

 

As empresas passam a economizar tempo e dinheiro, com a segurança da orientação prestada por profissionais especializados em evitar demandas judiciais e administrativas. Atuando diretamente na esfera tributária, ocasiona ao empresário uma economia considerável no pagamento de tributos e, em alguns casos, a possibilidade de ingresso no Judiciário com o objetivo de resgatar créditos tributários pagos indevidamente ao longo dos anos. No âmbito trabalhista, gera um impacto direto na redução do passivo proveniente de demandas da justiça do trabalho. Nas relações de consumo, a análise de contratos gera proteção e segurança ao empresário, evitando imposição de cláusulas abusivas ou que possam comprometer a efetividade e equilíbrio da relação consumidor x fornecedor.

 

Ou seja, indiferente da área, a consultoria e assessoria jurídica-preventiva, reduz e por muitas vezes elimina a possibilidade de erros, garantindo a sobrevivência empresarial.

 

Não obstante, mesmo com o cenário econômico instável consequente da crise, o pequeno e médio empresário ainda reluta e mantém a ideia arcaica que o auxílio de um profissional jurídico é necessário apenas em grandes empresas ou em eventual demanda judicial. Obtendo uma assessoria jurídica de qualidade, o pequeno e médio empresário tem mais chances de majorar seus lucros, já que tomará decisões mais acertadas e adotará os passos mais corretos para a execução dos fins que pretende, estando um passo a frente da concorrência.

 

É comum ver pequenas empresas com muito potencial “fechando as portas” em um pequeno lapso de tempo. E isso acontece, na maioria dos casos, por falta de assessoria jurídica preventiva, que acaba ocasionando em contratos mal firmados, pagamentos de tributos abusivos, ações trabalhistas e demais atos lesivos à gestão do empreendimento.

 

Nesse panorama, a advocacia preventiva oferece aos empresários orientação certa e responsável, pretendendo, sobretudo, o equilíbrio entre custos, riscos e benefícios que sucedem do exercício da atividade corporativa em tempos de crise.

 

Desta forma, nunca esteve tão em voga o velho ditado, o qual diz: “prevenir é o melhor remédio”, isto, em se tratando de advocacia preventiva para empresas, possui grande impacto, uma vez que importa em significativa redução de custos.

 

Vanessa Mesquita

Advogada Equipe Almeida&Almeida